• FaceBook
  •   
  • Twitter

Sinisia Coni

Um certo romantismo baiano

Convite Sinisia

Imagens da fotógrafa Sinisia Coni integram a quarta mostra temporária da área Fragmentos, no Espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana. Com abertura no dia 5 de julho e inauguração dia 11 de agosto, um certo romantismo baiano revela parte do trabalho realizado pela fotógrafa baiana em Salvador, Cachoeira e Itaparica.

A ideia de expor seu trabalho em um espaço democrático, a céu aberto, foi decisiva para a fotógrafa Sinisia Coni Corrêa Ribeiro aceitar o convite do Espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana para participar do projeto Fragmentos, que impulsiona talentos da fotografia, com exposições na área externa do Forte de Santa Maria. A mostra traz 22 fotografias em preto e branco, impressas em lona com tinta látex à base de água em altíssima resolução, medindo 80cm x 120cm.

IMG 7493Os registros das imagens foram feitos em Salvador e na cidade de Cachoeira entre 2013 e 2015 e têm em comum a introspecção de personagens comuns, absortos em seus pensamentos. Por esta característica, que não corresponde à imagem de alegria e despreocupação que o baiano transmite para o resto do país o curador da mostra Alex Baradel escreveu: "Há muita paixão na cultura baiana. “Paixão” é a palavra que caracteriza seus excessos, suas explosões de felicidade, de tristeza, às vezes de violência. Nesse aspecto, este trabalho fotográfico de Sinisia Coni realizado na Bahia não é muito baiano, pois trata do romantismo. Nestas imagens, nada de erupção, nenhum extremismo ou sol escaldante, mas, um céu coberto de nuvens, uma suave melancolia caracterizada pela postura das pessoas perdidas no seu ambiente de vida.

18Suas imagens fogem do tempo, ou melhor, param no tempo. Os olhares, pensativos, se perdem no céu. O homem pensa, e sua reflexão quase atravessa as fotografias. Mas estamos na Bahia sim, nesta terra de fortes influências africanas, onde sempre foi o povo que marcou e inspirou seus grandes artistas. Estamos na Bahia de Todos os Santos, nas feiras, nas ruas da sua capital, e nos deixamos levar pela doce tranquilidade da vida baiana, dos seus sonhos e da sua imensa poesia."

Recém-chegada de uma temporada em que morou na Europa, quando expôs em Lisboa e Vila Nova de Gaia, em Portugal, Paris, Oslo e Kolkata, na Índia, Sinisia recebeu com entusiasmo o convite para esta exposição. “É uma grande oportunidade poder mostrar meu trabalho às pessoas que passam na rua, gente que muitas vezes não tem a chance de ter contato com a fotografia”, comenta. “Além de estimulá-las na familiarização dessa arte, é um estímulo para que entrem e visitem o Espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana que é um lugar especial, que acolhe os profissionais que se dedicam a essa arte com amor e seriedade”, completa.

5

 

Sinisia Coni

Sinisia Coni, com formação superior em História pela UFBA e em Design de Interiores pela Panamericana de Arte SP, nasceu em Salvador no ano de 1949. Desde muito cedo é envolvida com a fotografia e, aos 14 anos, ganhou de seu pai um laboratório fotográfico para revelar suas fotos em preto e branco.
Como street photographer, seu objetivo é registrar imagens de diferentes povos e culturas, principalmente na Bahia-Brasil. Para ela, este lugar é possuidor de um cenário riquíssimo tanto em sua natureza como no cotidiano do povo, e em seus eventos populares, religiosos e cívicos.
Nos últimos anos, Sinisia se dedicou integralmente à fotografia, e seus registros renderam as exposições Terra Brasil, Olhar Viajante e Bahia Brasil Quotidiano, em Portugal; Artists Across Continents na Noruega; Artcom Internacional, no Carroussel du Louvre, França; e outras quatro mostras na Bahia-Brasil. “Em tudo que olho, vejo; em tudo que vejo, sinto; em tudo que sinto, registro com minha alma ou com minha câmera. Fotografia é uma grande paixão.” (Sinisia Coni)